quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

Cem anos de solidão


Foi num 2 de janeiro que eu comecei minha vida de estudante de pós-graduação. Ganhei a chave de uma sala, que passei a dividir com dois outros estudantes mais antigos que eu. Me apresentei a eles e saí da sala para conhecer o resto do prédio. Contudo, tive uma dúvida e voltei para a direção da sala - bem a tempo de, no corredor, ouví-los falando de mim, algo como "mas que cara ridículo!" Julgado e condenado em menos de 5 minutos - e não eram adolescentes, ou pessoas pobres e ignorantes: era um respeitável júri.

Fiquei meses almoçando sozinho.

Lembrei dessa história, hoje, um século depois, em outro 2 de janeiro, por estar almoçando sozinho, algo que vai se repetir quase o mês todo.

(imagem: uma refeição na corte do imperador Ferdinando I, no século XVI, na wikipedia)

5 comentários:

KNX disse...

Dedalus,

Pq vc não tira um dia para almoçar cá embaixo comigo? Assim a gente podia botar as questões metafísicas em dia... e tomar um pouco de Sol também. Ontem mesmo me ocorreu um poema que parece bom. Veja o que acha:

Luau

A areia sólida
O mar líquido
A brisa gasosa
O plasma da chama

E este Eu ali,
Testemunhando tudo.

Dedalus disse...

Caro knx,

Sabe que não é má idéia? Meu pai me sugeriu algo parecido... Não precisa nem ser um luau, um almoço simples já serviria.
Que tal na próxima semana?

KNX disse...

Só não posso na segunda-feira. Nos dias restantes estou à disposição. Faça o seguinte, veja que dia é melhor para vc e a gente combina. Então eu passo por email um mapinha de como chegar em casa. Até mais então. R.

Dedalus disse...

Caro knx,
Que tal um almoço na quarta (dia 09)?
Se não, pode ser na quinta: veja o que é melhor para você e me avise.
Um abraço!

Roney Belhassof disse...

Faça como eu: nunca volte de surpresa! :-)

Seu blog é bem interessante!