domingo, 3 de agosto de 2008

Os condenados


Fui a Franco da Rocha, no final de semana passado, para visitar uma mancha de cerrado que faz parte de um parque estadual. Lá vi muita vida que a cidade de São Paulo não sabe que existe: aves, répteis, verde, verde e verde... Mares de capim, com ondas e o rastro dos barcos que por lá passaram. E no meio de tudo a transição fantástica de clima gerada por um rio e as árvores que o cercam. Um outro mundo, a menos de uma hora de minha casa.

São Paulo é, em minhas memórias, uma cidade sem estrelas e, agora, por comparação, uma cidade sem vida. Pessoas, sim, muitas, mas acho que todas como eu - merecendo pêsames.

(imagem: São Paulo, "um lugar original")

2 comentários:

Lidiane Magno disse...

Nunca fui a Sao Paulo a nao ser ao aeroporto e so de escala... Mas a Sao Paulo das suas memorias e a mesma da minha idea de cidade: "sem estrelas"...

Obrigada pelo bem-vinda!

Sinceramente,
Lidiane

escrever por escrever disse...

É.. e pensar que logo isso vai acabar.

Já assistiu isso aqui? http://www.storyofstuff.com/

Muito bom, vale a pena conferir.