sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Pesadelo

Eu sou um imbecil - já disse isso em outra postagem, mas não custa repetir. Se eu não fosse, esse blog teria muito mais sexo. Na verdade, teria sexo, ou trechos como "já tive um calo interessante, na ponta do pai-de-todos, de tanto bater siririca." Ou ainda, teria fotos de golfinhos tiradas por mim (o que, não sei o por quê, também me lembram sexo), momentos-golfinho, imagens eróticas, textos dirigidos a público feminino (falando de sexo, acho), etc. Ai, que inveja!

Mas, como todo imbecil, minha vida é absolutamente inútil e desinteressante (e não tem sexo). Minha vida é o resultado de uma seqüência de armadilhas que me prenderam uma a uma. Estou preso, e "agora já fugiria de mim se de mim pudesse." Que me resta, senão escrever, declamando a minha versão - pobre, é claro - do mal do século ("culto do egocentrismo, vazado de melancolia e pessimismo")? É isso mesmo: na verdade, como todo imbecil, sou muito apegado ao romantismo... Adoro poesia - e só tento fazer ciência (meu fator h é bem pequeno mesmo...) por ver poesia nela, o que é só mais um sintoma.

Enfim, se tivesse coragem eu escreveria contos e versos mas, pensando bem, para quê? Álvares de Azevedo ("A vida é um escárnio sem sentido. Comédia infame que ensangüenta o lodo") e Augusto dos Anjos ("Vês! Ninguém assistiu ao formidável/Enterro de tua última quimera./Somente a ingratidão - esta pantera -/Foi tua companheira inseparável!") já disseram tudo que eu poderia dizer como escritor e poeta.

Preso a mim e ao hoje, empurro os dias com a barriga, mas, imbecil, continuo sonhando: "você me prende vivo, eu escapo morto."

(imagem: Hamlet contemplando Yorick e dizendo "Que fizeram de teus sarcasmos? De tuas cabriolas e canções? De teus rasgos de bom humor que faziam sorrir toda a mesa? Nem um só gracejo agora para zombar de tua própria careta? Nada?")

6 comentários:

Rafael Reinehr disse...

Talvez eu possa, também, a partir de algumas semanas, passar a ver poesia na ciência, na crueza das relações humanas e na vida em geral. Patético é quem vive anestesiado e não sente o gosto do verde, o cheiro da chuva e o som do pôr-do-sol.

Ruth disse...

Caro Dedalus,

Sua inteligência é notável assim como o seu pessimismo....
Você poderia deixar Álvares de Azevedo de lado e citar algo como:" O amor é a coisa mais fácil, o amor é a coisa mais difícil o amor é o que mais quero" ADÉLIA PRADO

Dedalus disse...

Caro Rafael,

Adorei o que você escreveu, mas "living is easy with eyes closed, misunderstanding all you see" (trechinho de Strawberry Fields, música dos Beatles, que diz mais ou menos "viver é fácil de olhos fechados, não entendendo nada do que se vê"). Eu sinto um pouco do que você descreveu, mas continuo anestesiado: fazer o quê?

Cara Ruth,

Agradeço imensamente o elogio, mas, parafraseando o escritor americano Mark Twain, devo declarar que "notícias sobre minha inteligência são extremamente exageradas". Quanto ao amor, o que você acha que pode deixar alguém que se declara adepto do romantismo tão pessimista? Segue mais uma citação: "love does not make fools, but exposes them" (numa traduçao rápida, "o amor não gera tolos, mas os expõe"; o interessante é que essa frase que eu aprendi sei lá quando NÃO EXISTE na todo-poderosa internet...)

Um abraço!

Ruth disse...

Dedalus

Ok,não vou discutir sobre sua inteligência...
mas quanto à: exposição, amor e tolice,devo dizer que o amor ixige sim exposição e declaração.Exageradas e tolas(ainda bem que as serenatas desapareceram...
Qual tempo histórico potencializa mais a exposição que o nosso?Conhecemos a vida privada dos outros através de blogs....
Uma citação interessante: "Se nada amássemos, nem a nós mesmos, nossa vida seria mais tranquila do que é. Mas é que também já estaríamos mortos."( André C. Sponville)
Um abraço
Ruth

Dedalus disse...

Cara Ruth,

Me permita discordar, mas não creio que o amor exija coisa alguma: pode-se amar alguém desinteressadamente, às escondidas. O que requer exposição e declaração é o amor com desejo de ser correspondido... Quanto a um blog ser um modo de conhecer a vida privada dos outros, não se engane: um blog é só uma janela na frente da qual só se põe o que se acha interessante que os outros vejam - você já viu alguma foto minha? Finalmente, obrigado pela citação.

Um abraço!

Ruth disse...

"Desejar é tudo possuir é nada...
Você parece concordar com Sthendal..
Essa discussão poderia prosseguir indefinidamente...mas por hora gostaria de encerrá-la por aqui.Obrigada pelo alto nível do debate.Um abraço.
Ruth