segunda-feira, 23 de março de 2009

Eu sou a lenda


Viver pode ser muitas coisas. Para mim, é estar só. Ontem, por exemplo, uma multidão se reuniu para ver um show, comigo nela e, assim, pude contar que eram 30 mil pessoas e eu.

E, então, depois de quase 12 horas, atravessei a cidade de São Paulo sozinho, em silêncio por ruas desertas, até o meu esconderijo no fim do mundo.

Robert Neville, personagem de um livro de ficção científica 'pós-apocalíptico', ao notar que é o último homem normal na Terra, percebe que se tornou "uma superstição entrando na inexpugnável fortaleza da eternidade", que se tornou uma lenda. Eu não vou tão longe mas, de qualquer modo, eu também sou uma lenda - eu não existo no mundo real.

(imagem: um fauno, um famoso ser não-real)

8 comentários:

rm disse...

Saudações. Não é a primeira vez que leio um post neste blog mas é a primeira em que sinto necessidade de sair do anonimato e comentar. Achar que estou sozinho também é uma constante na minha vida, mas sempre que consigo sair do meu casulo consigo encontrar pequenas razões aqui e além para não querer voltar. Uma dessas razões é conhecer pessoas como eu... Saber que não sou o único. Se quiseres visitar o meu blog e comentar alguma coisa também... ;)

Anônimo disse...

Você é o ......... Dedalus.

Quase que eu lhe entrego.
KNX.

L. Felipe A. disse...

fazemos parte da Lenda, de algo maior, mas irrelevante 'as nossas vidas comuns e passageiras.

Mas, se sentir só em meio a 30 mil é algo estranho mesmo, mas não impossivel,

abraço Dedalus

Rafael disse...

"Vivemos, agimos e reagimos uns com os outros; mas sempre, e sob quaisquer circunstâncias, existimos a sós. Os mártires penetram na arena de mãos dadas; mas são crucificados sozinhos. Abraçados, os amantes buscam desesperadamente fundir seus êxtases isolados em uma única autotranscendência, debalde. Por sua própria naturez, cada espírito, em sua prisão corpórea, está condenado a sofrer e gozar em solidão. Sensações, sentimentos, concepções, fantasias - tudo isso são coisas privadas e, a não ser por meio de símbolos, e indiretamente, não podem ser transmitidas. Podemos acumular informações sobre experiências, mas nunca as próprias experiências. Da família à nação, cada grupo humano é uma sociedade de universos insulares."

Achei pertinente a citação, retirada desse endereço http://santaum.org/pensitivo/

Abs

Dedalus disse...

Caro rm,

Obrigado pelo comentário e pela indicação de seu blog. Conhecer pessoas é ótimo, e melhor ainda é quando notamos que podemos nos entender com elas. Eu bem que gostaria que isso acontecesse com mais freqüência, mas no fundo, no fundo, "todo mundo é uma ilha": o problema é querer construir pontes e portos - nem todo mundo quer isso, e dependendo da bandeira do navio que se aproxima, os canhões são preparados e enviam tiros de alerta...

Caro KNX,

Eu, como é óbvio, estou vivo. No entanto, não me sinto vivo. É uma diferença como a que existe, no platonismo, entre o círculo do mundo das idéias e um círculo do mundo real: o eu que você conhece e vê andando por aí é só uma pálida sombra do Dedalus que aparece na escrita desse blog.

Caro L. Felipe A.,

Eu pretendo escrever mais sobre a sensação de estar só, mas não tive tempo ainda - o que posso dizer, por enquanto, é que no meio da multidão do show eu me senti como se estivesse em outro país, com essa sensação multiplicada por dez ou cem: eu me senti um alienígena.

Caro Rafael,

Muitíssimo obrigado pela citação - expressa muito bem o que eu acho ser uma verdade fundamental da existência humana, uma verdade que, em geral, acho que as pessoas não querem perceber. E, enfim, adoro Huxley...

Um super-hiper-mega-ultra abraço a todos!

Anônimo disse...

Tanto faz se o que tenho visto, é a cópia imperfeita (quiçá um fantasma); ou se o que esbarro, na internet, é a sua IDEIA, mais real: o fato é posso Dedá-las (que tal o trocadilho?), isto é, apontá-las: Eis aí Dedalus/(ou sua cópia material imperfeita)!

Eu também tenho minhas IDEIAS: uma delas chama-se René Bornagain (trocadilho de novo). Esse venerável solipsista certa vez disse de para mim: "Vários sabem quem eu sou; quase ninguém imagina quem eu seja!"

Incognitamente seu.
?

Dedalus disse...

Caro Anônimo:

Gostei do que você escreveu - minha idéia é mais real do que eu: isso não é um paradoxo?

Seja sempre bem-vindo!

Anônimo disse...

As equações que manipula certamente possuem mais realidade que vc? Ou não possuem? É paradoxal somente à primeira vista.

Ah... Já ouvi falar que o tal do René Bornagain dizia algo do tipo.

Ser & não-Ser: eis a contradição.

?